Alunas de Psicologia realizam estudo sobre feminicídio no DF

As estudantes do 10° semestre do curso de Psicologia, Bianca de Andrade e Leidiana de Souza, fizeram um estudo sobre os crimes de feminicídio cometidos no Distrito Federal entre 2017 e 2019. A pesquisa, realizada com a supervisão da professora Dra. Miriam Pondaag como parte do Programa de Iniciação Científica (PIBIC) da instituição, pretende identificar as estratégias e caminhos de enfrentamento da violência sofrida por mulheres e os fatores de risco dentro dos crimes de feminicídio.

A ideia de realizar o estudo sobre o tema surgiu em 2019, quando foi registrado aumento no número de casos de feminicídio no DF, em relação aos dois anos anteriores. A pesquisa está em andamento e vai ouvir parentes de vítimas, fazer uma análise de processos judiciais, para “contribuir com a construção de estratégias de proteção de outras mulheres e prevenção do agravamento da violência, que pode levar ao feminicídio”, explica Bianca.

De acordo com Leidiana, o Brasil ocupa o 5° lugar no ranking mundial de feminicídio. Para ela, esse é o reflexo de um sistema social patriarcal enraizado no país. Com o mapeamento dos dados, a pesquisa pode ajudar "na propagação dos serviços previstos no combate à violência contra a mulher, como a Delegacia da Mulher e o atendimento psicossocial”.

Com base no estudo, as alunas vão estudar questões psicossociais relacionadas à violência de gênero e representações socioculturais, trazendo a reflexão sobre como a violência de gênero é um processo de imposição da agressividade e opressão patriarcal como um padrão de legitimação e subjugação de mulheres”, aponta Bianca.

As alunas convidam familiares e/ou amigos próximos de vítimas de feminicídio no DF entre anos de 2017 a 2019 para participar da pesquisa.

Para participar, clique aqui.

Por Vitórian Tito



Compartilhe: